Apple barra aplicativos que tentam violar privacidade do usuário

A privacidade para os usuários de smartphones tem se tornado um assunto cada vez mais sério, e diversas empresas têm investido em recursos que ajudam a proteger os dados de seus usuários.

Uma destas empresas é a Apple. A fabricante do iPhone inovou e, com o iOS 14 ofereceu a seus usuários a possibilidade de controlar seus dados, escolhendo quem pode ou não ter acesso a eles via compartilhamento de informações com anunciantes.

O que é bom para os usuários, que se sentem menos invadidos com propagandas indesejadas, para as empresas é um péssimo negócio, já que elas perdem receita de publicidade.

Esse controle é possível graças ao aplicativo Tracking Transparency, que permite ao usuário interromper completamente aos anunciantes acesso a suas informações.

Desta forma, aqueles que tem um iPhone podem escolher o que compartilhar ou não com os desenvolvedores de aplicativos, evitando ser bombardeados com anúncios indesejados.

Jeitinho brasileiro?

Se para os usuários a ideia de controlar quem tem ou não acesso ao compartilhamento de seus dados é uma ótima ideia, para os desenvolvedores nem tanto.

Por isso, alguns deles deram um “jeitinho” de burlar essa regra. Você imagina quem fez isso? Uma dica: os aplicativos que estão tentando quebrar essa configuração são criados por gigantes da Ásia.

Isso mesmo. Empresas como a desenvolvedora do TikTok, febre entre os adeptos de redes sociais e outras companhias chineses bem que tentaram ultrapassar essa barreira, mas a Apple não apenas não aceitou a ideia, como aplicou uma punição drástica a essas companhias, barrando a atualização desses apps na App Store.

O que isso significa? Que os aplicativos dos usuários do iPhone ficarão desatualizados, pois as empresas resolveram desafiar a mudança da Apple, de permitir aos usuários decidir o que querem ou não compartilhar com as empresas.

Como isso funciona

Não entendeu muito bem a confusão? Vamos lá. Recentemente, a Apple lançou mais uma atualização do iOs 14, a 14.5. Até aí tudo bem. A novidade é que, junto com a nova versão de seu sistema operacional, ela lançou um app, o Tracking Transparency.

Esse app existe o consentimento dos usuários para que uma empresa ou aplicativo tenha acesso a esses dados. Ou seja, se a pessoa não autorizar, a Apple não pode compartilhar suas informações.

E foi exatamente isso que acabou acontecendo: milhares de usuários da nova versão do iOS tem optado em não permitir o compartilhamento de seus dados, o que tem deixado diversas companhias bastante insatisfeitas, já que essa postura impacta diretamente em seus resultados.

Agora, o jeitinho, que não é o brasileiro, mas funciona como tal. Por causa dessa mudança, empresas da China, sobretudo das áreas de tecnologia e publicidade, desenvolveram uma alternativa que permitisse a eles manter o rastreamento de dados dos usuários, mesmo sem seu consentimento.

O resultado? O app foi testado na China e aparentemente funcionou. Mas, a Apple logo percebeu o truque dos gigantes locais e agiu de forma drástica, bloqueando as atualizações de aplicativos que sejam detectados tentando utilizar o tal sistema.

A resposta foi tão ruim que esses apps abandonaram a ideia e, até o momento, tem de aceitar que alguns usuários não aceitem que seus dados sejam rastreados. E você, o que acha disso?

30806

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.