Apple lança o novo iPhone 12 com 5G

A Apple lança tradicionalmente os seus novos modelos de iPhones e outras novidades de seus produtos tradicionalmente em Setembro, porém, em virtude da pandemia do Coronavírus este evento ocorreu agora em Agosto.

Porém, algumas boas novidades apesar de atrasado, outras empresas já ofertam o 5G há bastante tempo.

Entre elas podemos destacar uma tela mais resistente, uma câmera com sensores avançados, um chip mais veloz. A principal “novidade”, porém, é que os quatro modelos mostrados pela fabricante de Cupertino funcionarão com o  5G.

“É uma nova era para o iPhone. O 5G vai trazer ótima experiência em downloads, games e vídeos”, disse Tim Cook, presidente executivo da empresa, durante apresentação online realizada ontem.

Além do 5G, outra grande novidade apresentada ontem foi o iPhone 12 mini, um modelo topo-de-linha, mas com tela menor que as versões principais do iPhone – ele terá 5,4 polegadas e custará a partir de US$ 729, mesmo preço do iPhone 11 revelado em 2019. “A dinâmica de preço este ano foi muito interessante e os valores vieram abaixo das expectativas, o que é importante em meio à pandemia”, disse Harsh Kumar, da consultoria Piper Sandler & Co, em nota a investidores. Infelizmente no Brasil por conta do dólar elevado este preço não será nada atraente. 🙁

Vale lembrar que em nosso país ainda não tem 5G e na grande maioria do mundo também não. O 5G aqui ainda deve ser aberto a venda das frequências pela Anatel apenas em 2021. Ainda tem muita briga de bastidores para resolver já que os EUA pressiona para não usarmos tecnologia Chinesa e os Chineses maior parceiro comercial do país pressiona que não e justo não ter a Huawei será injusto e pode ter consequenciais. Eu acredito que Bolsonaro esta esperando a eleição nos EUA ocorre, se Trump perder, terá menos pressão.

 

Sem bateria na caixa

Outra novidade da Apple gerou polêmica: nenhum dos modelos do iPhone 12 será vendido com carregador e fones de ouvido na caixa. A justificativa da empresa é ecológica: com mais de 2 bilhões de carregadores já vendidos, a empresa tenta reduzir emissões de carbono na captação dos metais e na fabricação dos acessórios. No entanto, o tiro saiu pela culatra: nas redes sociais, diversos usuários acusaram a empresa de adotar um discurso bonito para vender mais – afinal, quem não tiver um carregador terá de comprá-lo à parte.

Para que fazer isto pessoal? Se não querem prejudicar o meio ambiente, não fabrica o iPhone então, ele prejudica muito mais do que um simples carregador de bateria. Querem e vender acessórios e ter um lucro ainda maior com desculpa. Esta moda de ESG tem feito muitas empresas é aumentar o seu lucro apenas fingindo ser ecológicas…

 

 

7175

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.