TikTok o app Chinês que pode estar te espionando

O app TikTok tem virado um fenômeno na rede social pelo mundo a fora, provavelmente já deve ter passado mais de 1 bilhão de usuários, o aplicativo bombou durante o ano de 2019 e agora em 2020 tem virado febre no Brasil. Em primeira vista não vemos nada de errado, e um APP para criar pequenos vídeos, que no geral e voltado para o humor. “Diga-se de passagem, boa parte dos vídeos e bem legal”.

A parte que a maior parte dos usuários tem que analisar é, o APP e criado por uma empresa Chinesa que segundo relatos faz envio de dados dos seus usuários para o país Asiático e só Deus sabe o que faz com estes dados.

Seria até ingenuidade achar que um APP e logicamente o país “Chefe”, não o usaria para espionar os usuários, isto ocorre ou ocorreu com Windows, Facebook, Whatsapp, Intagram e etc. Mas, se você tem que escolher por quem ser espionado, quem iria preferir? Um governo democrático focado no capitalismo. Ou um país comunista, digamos que Capitalista apenas na parte que lhe interessa?

O correto seria ninguém nós espionar como eles fazem hoje. Mas, se coloca no lugar do dono do APP que mora na China, o governo pede uma “Porta”, para acesso o APP e os dados, você vai negar? Do nada some, fali e etc e ninguém sabe porque já que a impressa pode dizer apenas o que e autorizada? Isto e cabuloso, lembrem-se que a internet não e 100% livre na China. Como temos hoje e podemos falar de qualquer assunto sem grandes problemas.

Então, tome cuidado, apesar de não achar que não tenha nada a ser espionado, podem usar seu celular para minerar, criar VPN para acessos não autorizados e outros sistemas, hackear sua conta bancaria, apreender seus costumes, pegar fotos, vídeos, áudios e quem sabe fazer até um ataque DOS e DdoS e outros aparelhos e sites prejudicando terceiros?

No jornal El-Pais foi divulgado o seguinte texto, que destaco abaixo:

Em dezembro passado, o Exército dos EUA proibiu seus soldados de terem conta no app, argumentando que seu uso poderia representar uma ameaça para a segurança nacional. Os senadores Tom Cotton e Chuck Summer chamaram os serviços de inteligência para avaliar a atividade do TikTok, alegando que poderia ser obrigado a “apoiar e colaborar com operações de inteligência controladas pelo Partido”, já que “as empresas chinesas não têm meios legais para rechaçar as demandas do Governo.” A ByteDance respondeu com um comunicado, afirmando que seus servidores ficam nos países onde o app está disponível. Os diretores da empresa, porém, negaram-se a comparecer perante uma comissão do Congresso encarregada de examinar os vínculos da indústria de tecnologia com a China.

As suspeitas têm fundamento, a julgar pelos precedentes: neste mesmo ano, o TikTok pagou uma multa de 5,7 milhões de dólares (24 milhões de reais) por captar, de maneira ilegal, dados pessoais de menores em sua plataforma. Além disso, numa carta aberta publicada em 2018, seu diretor-geral se comprometeu a “aprofundar a cooperação” com o Partido Comunista de modo a promover suas políticas. O app teve que lidar com vetos temporários na Índia, Indonésia e Bangladesh.

Bloqueios polêmicos

Um segundo motivo de desconfiança é a política que o TikTok aplica à gestão do conteúdo. O aplicativo bloqueou vídeos que denunciavam a violação de direitos humanos na China.

8829

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.