O que é Software Livre? Descubra se você já utilizou sem saber

O software livre é aquele que respeita a liberdade de uso e  senso de comunidade do usuário. Muitas pessoas costumam confundir “software livre” com “software gratuito” e por isso a comunidade livre prefere referenciar como “libre software”, como forma de tentar desvincular o mal entendimento do termo utilizado. De forma mais didática, podemos pensar em “liberdade de expressão” ao invés de “caipirinha grátis”. Para entender melhor esse conceito, podemos conhecer os pilares do software livre: os usuários possuem a liberdade de executar, copiar, distribuir, estudar, mudar e melhorar o software.

“Nós fazemos campanha por essas liberdades porque todo mundo merece. Com essas liberdades, os usuários (tanto individualmente quanto coletivamente) controlam o programa e o que ele faz por eles. Quando os usuários não controlam o programa, o programa controla os usuários. O desenvolvedor controla o programa e, por meio dele, controla os usuários. Esse programa não livre é “privativo” e, portanto, um instrumento de poder injusto”. – gnu.org.

Portanto, um programa só é considerado livre, se possuir as quatro liberdades:

  • A liberdade de executar o programa como você desejar, para qualquer propósito (liberdade 0).
  • A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo às suas necessidades (liberdade 1). Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito.
  • A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar outros (liberdade 2).
  • A liberdade de distribuir cópias de suas versões modificadas a outros (liberdade 3). Desta forma, você pode dar a toda comunidade a chance de beneficiar de suas mudanças. Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito.

Um software livre possui os princípios listados acima em qualquer situação. Outro detalhe importante é, se um software A necessita para o seu pleno funcionamento, da dependência/inicialização de um software B, os dois softwares precisam ser livres para que A seja reconhecido como livre, caso o contrátrio, A não é livre. Por isso entendemos que, softwaares livres precisam de algumas análises para que realmente sejam considerados pertencentes a esse conceito, excluindo a possibilidade de ser um software “privativo”.

Software Livre Comercial

Como explanado anteriormente, livre não significa gratuito. A GNU alega que o software livre não atingiria tal sucesso, sem abranger também o caminho comercial no desenvolvimento de libre softwares. Muitos softwares livres podem ser vendidos ou embutidos neles a venda de consultoria ou serviços agregados. Confira agora alguns exemplos de softwares livres mais populares e vá marcando 1 ponto para cada um que você já utilizou, vamos conferir no final…

Telegram

Telegram

Além de promover excelente serviço e sempre estar atualizando novas funcionalidades, todos os Apps oficiais e alguns não oficiais do telegram são de código aberto, o que acaba encantado a comunidade livre e opensource ao redor do mundo. Segundo o site oficial do Telegram, mais de 100 milhões de novos usuários foram identificados apenas em janeiro de 2021, um número absurdo que pode ter sido influenciado pelas mudanças nos termos de privacidade do Whatsapp.

 

 

GIMP

GIMP

O GIMP é um editor que foi criado como alternativa ao Adobre Photoshop e pasmem, roda em qualquer sistema operacional. A sigla GIMP já entrega tudo! Significa GNU Image Manipulation Program, portanto, o GIMP é um programa de código aberto licenciado pela GPL (General Public License) e foi lançado em novembro de 1995.

 

 

NetBeans

Netbeans

Se você é dev talvez já tenha utilizado essa ferramenta para trabalhar no mínimo com Java, esse é outro software de código aberto. Ambiente para desenvolvimento nas linguagens (Java, C, C++, PHP, Groovy). O programa é desenvolvido pela Oracle e funciona em múltiplos sistemas operacionais. Foi criado em 1996 e é um dos mais utilizados neste segmento.

 

 

MySql

Mysql

O SGBD(Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados) que utiliza linguagem SQL (Structure Query Language). Foi criado na Suécia durante a década de 80, porém em 2008 a Oracle comprou por mais de R$ 1 bilhão de dólares a empresa Sun Microsystems e junto com ela, todos os seus softwares. O MySQL é um dos mais utilizados no mundo. Para ter uma ideia da popularidade do programa, Nokia, Sony, Google e outras gigantes empresas conhecidas no mundo são usuárias do sistema.

 

Muitas vezes não temos conhecimento aprofundado sobre as ferramentas que utilizamos, então não conseguimos identificar o seu propósito, visão ou conteito. É importante entender que toda tecnologia tem um ponto de partida e um porquê de ser criado, assim como um impacto proposto na vida das pessoas, entender o que se passa com seus utilitários é mais que nunca uma responsabilidade cidadã de sujeitos que vivem ativos também em uma vida digital.

Agora me diz, quantos pontos você acumulou na nossa brincadeira?

Fontes: Diolinux, Oficina da Net, GNU
3833

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.